Reunião presencial do OP

Anúncios

Após várias reuniões ‘online’, a Comforça Norte retoma ao formato presencial. Foi à oportunidade de reencontra as lideranças sociais e para atualizar as informações das obras do Orçamento Participativo.

Além da presença dos técnicos da Prefeitura, o destaque para presença do secretário de Governo Josué Valadão que foi recém-empossado na gestão do Prefeito Fuad Nomam (PSD).

A Prefeitura em comum acordo com as lideranças sociais, não indicaram novos projetos de obra enquanto não executar aquele que aprovados nos Orçamentos Participativos anteriores.

Algumas obras estão pendentes, exemplo da canalização e urbanização do restante da Av. Basílio da Gama sendo complexo devido à dificuldade para elaboração por envolver questões do Meio Ambiente. Talvez seja a obra, das pendentes, que demanda maior investimento. Quando foi aprovado em 2011 no OP Digital estava orçada em R$ 5.5 milhões, a última estimativa e supera R$ 7 milhões. Um paliativo emergencial feito ressente resolveu problema causado pelas chuvas de 2020/2021.

Josué Valadão (foto) ouviu os elogios e respondeu os questionamentos das lideranças sociais. Uma das questões é o futuro do Orçamento Participativo (OP) diante do Projeto de Lei, Pelo 04/2021, que está em votação na Câmara Municipal, torna o OP uma política pública.

É importante que as futuras obras sejam feitas pelos moradores mantendo a essência da participação popular do quê é melhor para região e sem a intervenção dos vereadores.

Golpe de 65 mil reais

Um comerciante do bairro Tupi tomou prejuízo de 65 mil reais no golpe do “Novo número de telefone”.

O golpe foi aplicado depois que o comerciante recebeu uma mensagem no Whatsapp que supostamente era da filha dele, pedindo salvar o “novo número provisório do celular” enquanto o antigo está na loja de manutenção.

Em seguida a “suposta filha” começou pedir transferências de alguns valores ou pagamento de boletos bancários alegando dificuldades manusear o aplicativo do banco, e que depois iria repor o dinheiro.

A recomendação para pessoa que recebe este tipo de mensagem de parente ou amigos que lhe solicitando dinheiro ou pagamento de boleto, ligue para a pessoa no número antigo dela e apure o que está acontecendo.

Importante, quando deixar um celular para manutenção retire o seu chip e o cartão de memória do aparelho, você poderá usá-lo em outro aparelho sem comprometer seus dados.

E o policiamento?

Comerciantes reclamam da falta de policiamento – Foto de Leitor

Comerciantes continuam revoltados com a falta de segurança na Rua Furquim Werneck no bairro Tupi.

Conforme as postagens nos grupos de Whatsapp, toda semana algum comerciante é vítima de roubo ou furto. Ora é produto durante o funcionamento da loja ou quando o estabelecimento está fechado, neste caso a fiação da rede elétrica ou a iluminação externas das lojas que são roubadas. A reclamação é geral.

No caso da iluminação ou a fiação o destino do material são os topa-tudo e ferro-velho. Segundo explicou o consultor em segurança pública do Jornal, em muitos dos casos o dinheiro conseguido com os delitos, são para adquirir drogas.

A recomendação dos especialistas dos órgãos públicos é necessário os comerciantes façam ocorrências policiais para gerar dados estatísticos e o local receba mais atenção do policiamento. As ocorrências podem ser feitas pela Internet no site da Polícia Civil.

O impasse dos ônibus

O transporte público em Belo Horizonte esta vivendo impasse entre os empresários e a Prefeitura. A situação foi gerada pelo custo do preço da passagem que a gestão municipal não concedeu aumento desde 2018 segundo afirma os empresários dos consócios de ônibus.

Com a pandemia da Covid-19 que levou as pessoas ao isolamento, as empresas de ônibus tiveram queda na arrecadação. A PBH fez aporte financeiro para suprir e manter o serviço em funcionamento.

A situação virou polêmica e disputa política entre o então prefeito Kalil (PSD) e a presidente da Câmara Municipal, Neli Aquino (Pode) depois que um Projeto de Lei , que previa a redução do preço da passagem, foi recusado na Câmara Municipal.

Disputas e polêmicas à parte, a sugestão para resolver o impasse dos contratos entre os consórcios e o poder público, é voltar ao um modelo em que as empresas eram renumeradas conforme o número de viagens no quadro de horário de cada linha.

Fica a sugestão para a atual Comissão que tem participado do executivo e do legislativo do município.

Aeroporto do Carlos Prates

Adiada a desativação do Aeroporto do Carlos Prates e não é desta vez que teremos mais aviões sobrevoando sobre as nossas cabeças na Região Norte.

Alguns anos os moradores dos bairros em torno do Aeroporto do Carlos Prates reivindicam que seja desativada as atividades do aeroporto. O motivo foram os acidentes de aviões nos bairros próximo daquela pista de pouso e decolagem que causaram mortes.

Está previsto que as operações de voos serão transferidas para Pampulha aumentando o risco para os moradores dos bairros Guarani, Primeiro de Maio, São Bernardo, Providência e outros que estão na cabeceira da pista do aeroporto.

Parafraseando o ditado popular, “queda de avião na cabeça dos outros é refresco”. Por aqui ninguém foi consultado se é favorável ou contra a transferência.

Deixe uma resposta